Translate

Resenha de Livro

Um Gato de Rua Chamado Bob - James Bowen

Resenha de Livro

A Livraria 24hrs do Mr. Penumbra - Robin Sloan

Resenha de Livro

O Príncipe da Névoa - Carlos Ruiz Zafón

Resenha de Livro

Cidade dos Anjos Capidos - Cassandra Clare

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Maze Runner: Correr ou Morrer - James Dashner


Título Original: The Maze Runner
Título Brasileiro: Maze Runner: Correr ou Morrer
Autor (a): James Dashner
Ano: 2010
Editora: V&R Editoras
Páginas: 426
Sinopse: Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho.Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar - chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo.Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito.

Olha eu aqui de novo, com outra resenha que já devia ter sido feita e postada há muito tempo, como o tempo é curto nessa vida, mas surgi novamente com a resenha desse livro tão fantástico que é Maze Runner, me apaixonei  por ele logo que comecei a ler suas primeiras  frases, não acreditava ser possível até acontecer comigo.

Esse livro conta a história de Thomas que acorda lembrando-se apenas de seu nome, ele se encontra em um elevador que logo o leva até um local conhecido como Clareira, onde vários meninos (somente meninos) na mesma situação que a dele vivem, alguns há pouco tempo, outros há alguns anos. Logo ele tenta descobrir o que esta acontecendo, onde está ou por que está ali, mas os motivos são um mistério que nem os moradores mais antigos conhecem.

Thomas é guiado por Chuck, um menino atrapalhado e o antigo "novato", em seu novo mundo na Clareira, onde percebe que é rodeada por um gigante Labirinto (que muda de formato e se fecha todas noites!), que todos os dias é explorado por alguns dos habitantes, conhecidos como Corredores, os encarregados de tentarem descobrir se há alguma coisa que os possa ajudar a sair de onde estão. Mas eles não imaginam a mudança que está por vir.

“Para sobreviver no maldito Labirinto, você precisa ser esperto, rápido, forte. Precisa ser capaz de tomar decisões, saber o grau certo de risco que deve correr.” Pág. 115.

Após alguns dias da chegada de Thomas os habitantes da Clareira recebem um novo morador, mas para a surpresa de todos, pela primeira vez uma garota chega pelo elevador carregando um bilhete dos supostos Criadores do local em que se encontram que pode mudar tudo que eles conhecem. Como todo querido personagem principal, esse também não poderia deixar de fazer o que nós esperamos que ele faça certo? Mas ai é que está, ele precisa virar um Corredor, o motivo? Nem ele mesmo sabe.

Com o tempo conhecemos mais o mundo da Clareira e como ela funciona, e também descobrimos que eles não vivem sozinhos naquele lugar, criaturas vagam pelo Labirinto durante a noite, e se você ficar preso lá, provavelmente será seu fim. Aprenderemos também, mas apenas ao final do livro (duh), que algo muito maior está por trás dessa vida encarcerada que esses meninos, e menina, estão vivendo.

“Deve haver algum modo de sair deste lugar... só precisamos nos esforça, passar mais tempo no Labirinto.” Pág. 276.

Não consideraria Maze Runner como um Jogos Vorazes ou um Divergente, apesar de a temática ser a mesma eles possuem diferenças abismais, o que não faz sentido compará-los, então irei apenas dizer que entre os três Maze Runner foi meu preferido, por não possuir uma história (história, não temática) muito clichê e criar uma coisa completamente envolvente e interessante.O livro nunca para, novas aventuras nos aguardam a cada página, e mistérios são revelados e novos descobertos (adoro! Só que não), a leitura flui de uma maneira boa, e o autor conseguiu passar para o livro o que ele imaginou sem muitos problemas.

A única coisa que me atrapalhou ao ler o livro foi o vocabulário, algumas palavras diferentes são usadas, ao invés de palavrões o autor optou por criar palavras novas, o que me fez ficar confusa até certo ponto do livro, depois acabei me acostumando, mas realmente atrapalha e confunde a cabeça. 
Os personagens são únicos e carismáticos, e como eles não sabem o que está acontecendo, você também não vai saber, o que pode ser frustrante, mas compreensivo.

Estou num processo de ler as continuações, mas ao mesmo tempo não querer, pois tenho medo de acabar, não gosto de acabar uma série de livros que me cativa (Instrumentos Mortais que o diga), mas espero ser forte, pois quando lemos algo bom, sempre clamamos por mais, mesmo que machuque quando o chega o final.

Tenho um caso de amor extremo com esse livro, me perdoem por ser tão favorável a ele, deem uma chance a ele caso tenham medo, não será uma leitura ruim, e também se vocês forem como eu, que gosta de ler o livro antes de ver o filme, essa semana (18/09) teremos o lançamento dele. Após eu assisti-lo direi aqui meus pensamentos sobre o mesmo, e eu realmente espero, que seja uma boa adaptação, nem precisa ser perfeita, só boa (esperando que não estraguem muito). Se quiserem podem dar uma espiadinha no trailer. ;)








domingo, 7 de setembro de 2014

Dica de Série: Red Band Society

Dia 17 de setembro estreia a nova série da Fox, Red Band Society. Graças a dica da Joana Argenta (Poderosas & Girlies) no twitter, eu assisti ao piloto que liberaram e, gente, eu indico fortemente para que vocês comecem a assistir! A série me pegou logo no primeiro episódio e promete ser incrível!

A série gira em volta da ala pediátrica do hospital Ocean Park em Los Angeles, onde um grupo distinto de jovens pacientes vivem e forjam laços de amizade. Além de tratar sobre suas doenças (que vai de transtorno alimentar a câncer), também é mostrado como é a vida deles: as amizades, o que fazem nas horas vagas, a escola, romances... tudo no ambiente hospitalar.

Não se deixe enganar, apesar da premissa, a série não uma drama série ao estilo Grey's Anatomy. Ela é leve e divertida, mas não posso prometer que não vai chorar em alguns momentos. O ambiente descontraído e os próprios personagens diversificados garante o resultado eficaz, vai te fazer rir, mas não esquecer da seriedade do mundo em que eles vivem.

Confiram ao trailer da série (infelizmente não achei legendado) e se apaixonem comigo:

 

domingo, 31 de agosto de 2014

Provocante [As Flores Mais Raras #2] - Madeline Hunter

Título Original: Provocative in Pearls
Título Brasileiro: Provocante
Autor(a): Madeline Hunter
Editora: LeYa
Ano: 2014
Páginas: 400
Sinopse: Verity Thompson desapareceu no dia do seu casamento. Seu paradeiro ficou em segredo por anos, um longo período no qual seu marido, o conde de Hawkeswell, viveu na penúria e na incerteza. Verity deixou para trás uma fortuna imensa, porém, inacessível à família, pois sua morte não havia sido oficialmente declarada. Nem poderia, já que ela estava bem viva. Ao ser obrigada a se casar, ela foge de Londres e refugia-se no campo. Abandonou sua fortuna em troca da liberdade. Mas o destino tem os seus próprios desígnios e a jovem se vê obrigada a regressar à cidade e a um casamento sem amor. Seu arrogante marido, porém, está disposto a chegar a um acordo: se Verity lhe der três beijos por dia, ele não a obrigará a cumprir os deveres conjugais. Mas, claro, há beijos e beijos… e Verity vai perceber até que ponto foi realmente um erro se entregar nas mãos de um hábil mestre.

Começo a resenha admitindo que, ao ler a sinopse e ver a capa, não dava nada para o livro. Okay, nada não, mas não esperava muita coisa. Imaginei que seria apenas mais um New Adult, e por algum motivo tinha a impressão de que seria tedioso, clichezento, sei lá. Procrastinei a leitura até finalmente embarcar no livro em um final de tarde. Não poderia estar mais enganada, e fico feliz por ter estado errada. Finalizei a leitura no final daquele mesmo dia.
"Ele lutou consigo mesmo para dominar a profunda irritação advinda do fato de ela já ter levado a melhor duas vezes numa luta na qual ela não deveria ter o direito sequer de empunhar uma arma."
Provocante é de fato um New Adult. No decorrer da história, que não é apenas sobre Varity estar em um casamento sem amor, há alguma cenas mais picantes, embora não sejam explícitas, apelativas ou vulgares; as cenas foram escritas mais floreadas, e eu particularmente gostei da forma da autora em escreve-las, com um toque de romantismo mas sem deixar de fora a sedução. Outro ponto positivo é que, apesar de haver tais cenas, elas não foram inseridas com exagero ou forçadas na trama. O que estava em questão era o relacionamento dos dois, a evolução e desenvolvimento de Varity e Grayson como casal e pessoas, sendo tão iguais e tão diferentes, funcionavam juntos apesar de tudo.

Eu não estava esperando que o livro tratasse de um assunto que não fosse relacionado ao romance do casal, por isso, tive uma agradável surpresa ao me deparar com algo mais, um "mistério" a ser resolvido. Não é nada muito profundo, mas acrescenta à trama e história, gostei bastante disso, pois quebrou aquela coisa focada apenas em relacionamento e construiu um cenário atrás da história.
"Ela se lançara num precipício, ao encontro do mistério e deslumbramento, e a voz dele voltava a colocar seus pés em terra firme."
Não há especificado o período histórico em que esse livro se passa, ou então não encontrei. É um romance de época pelas pistas que são dadas na narrativa: o casamento era um negócio, o papel da mulher na sociedade - e a forma como Verity contesta isso. Considerando as pistas, então, imagino que em algum lugar entre o século 18 e 19. Mas mesmo sem saber exatamente quando, gostei que a autora não ignorou a sociedade em questão, ela soube inserir bem isso na história, deixou mais consistente.

Provocante é o segundo volume de As Flores Mais Raras. Agora, eu não li o primeiro, mas isso não impediu meu entendimento na história, cada livro, apesar de seguir uma ordem cronológica e os personagens reaparecerem, a história em si em independente, a trama começa e termina no mesmo livro, já que cada um foca em um casal. Parecido com o que acontece com Os Sullivans, da Bella Andre. Só sei que quero ler o primeiro agora, e os próximos!
"Ele levantou-se e ficou a fitá-la, perguntando-se por que ela estava ali, esperançoso, mas ao mesmo tempo sem se deixar."
No mais, eu realmente gostei do livro, ele é fácil e rápido de ler, me envolveu rapidamente uma vez que lhe dei a atenção devida e o final... corações, corações, corações! A única coisa que não gostei mesmo foi a capa. Primeiro que a personagem não se parece fisicamente com a Verity, nem com sua personalidade. Segundo que apesar de ser uma imagem bonita, não combina com o livro, e nem como capa.

Avaliação:

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

[CANAL] Bienal do Livro 2014 (12/08 - Vlog e Depoimento)


Do dia 22 a 31 de agosto acontece em São Paulo a 23ª edição da Bienal do Livro, no pavilhão de exposições do Anhembi. Claro que eu fui conferir o que rolou por lá! Confiram no canal um resumo do meu sábado (23/08) e meu relato da experiência este ano.

 

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Garota Exemplar - Gillian Flynn

Título Original: Gone Girl
Título Brasileiro: Garota Exemplar
Autor (a): Gillian Flynn
Ano: 2013
Editora: Intrínseca
Páginas: 446
Sinopse: Amy Dunne desapareceu. No dia de seu quinto aniversário de casamento, seu marido, Nick, encontra a casa revirada e nem sinal da esposa. Tudo indica se tratar de um sequestro, e Nick imediatamente chama a polícia, mas logo as suspeitas recaem sobre ele. Exibindo estranha calma e contando uma história bem diferente da relatada por Amy em seu diário, Nick parece cada dia mais culpado, embora continue a alegar inocência. À medida que as revelações sobre o caso se desenrolam, porém, fica claro que a verdade não é o forte do casal.
(Sinopse retirada do livro)
 
Skoob
 
Quando vi propagandas a respeito desse livro, fiquei um pouco desconfiada por ser suspense policial, um tema que me deixa um tanto quanto aflita lendo, por querer saber logo a verdade de tudo o que esta acontecendo por trás de tantas mentiras. Com o ponto de vista alternando entre o casal Amy e Nick, o leitor já poderá ir formando um pensamento, e começará a pensar em qual dos dois lados ele decidirá ficar.

Garota Exemplar, é um belíssimo livro, com uma escrita empolgante e que lhe prenderá até o final da história. Com uma história que pode ser considerada clichê por muitos leitores, aquela velha história de "mulher desaparece, marido culpado ou inocente?", o livro consegue surpreender após o começo um tanto "parado", revelando segredos e verdades escondidas, que o leitor nem imaginaria.

"As pessoas querem acreditar que conhecem as outras. Pais querem acreditar que conhecem seus filhos. Esposas querem acreditar que conhecem os maridos." Pág. 106.

Os personagens são fortes e cativantes, principalmente Amy, que rouba a atenção o livro inteiro, não posso dizer muito ou então vou acabar estragando o livro para muitos, mas Amy foi a personagem que mais me surpreendeu, retirando muitos rótulos que são impostos pela sociedade e até mesmo para a mídia.

Já Nick chega a ser um nada perto de sua mulher, o que sua mulher possui de personalidade forte, ele não consegue cativar tanto quanto ela, mas mesmo ficando para trás, é um personagem com um passado turbulento, que explica o motivo de ser como é, as mentiras correm soltas em suas veias, mas mesmo assim, ele fará de tudo para provar que não matou sua mulher.

"- As pessoas julgando tudo o que você faz sem sequer conhecê-lo. Como você com a foto de celular no parque. Quero dizer, você provavelmente é como eu: foi criado para ser educado. Mas ninguém quer a história de verdade. Eles querem o... Peguei você, Sabe?" Pág. 322.

Outros personagens muito relevantes também aparecem no livro, como os pais de Amy, a irmã de Nick, seu advogado, e outros que realmente adoraria contar para vocês, mas estragaria o livro completamente, cada um deles possui uma personalidade própria, e não parecem robôs criados para estarem ali somente como secundários, apenas de ler algumas cenas já podemos decifrá-los facilmente.

Com uma história simples, mas com um toque a mais e uma escrita elaborada e bem feita, e apesar de o final ter me dado vontade de jogar o livro na parede, Garota Exemplar com certeza está em minha lista de melhores livros já lidos, simplesmente devorei cada página ansiando pela verdade, me sentia presente naquele mundo de um jeito que raramente me sinto. Como sempre digo, se tiverem a chance, leiam e (talvez) não se arrependerão, afinal, onde está Amy Dunne?

E dia 2 de Outubro o filme chegará ao Brasil! Se quiserem dar uma olhada no primeiro trailer
:







[CANAL] Harry Potter e o Cálice de Fogo - J.K. Rowling

Título Original: Harry Potter and the Goblet of Fire
Título Brasileiro: Harry Potter e o Cálice de Fogo
Autor(a): J.K. Rowling
Editora: Rocco
Ano: 2001
Paginas: 583
Sinopse: É tempo de férias de verão e, certa noite, em seu quarto na rua dos Alfeneiros n°4, Harry Potter acorda com a cicatriz ardendo intensamente. Teve um sonho estranho, sobre o qual não conseguiu parar de pensar, intrigado, até receber aquele convite dos Weasley para assistir, nada mais nada menos, à Copa Mundial de Quadribol. Não foi fácil convencer seu tio Válter a deixá-lo passar o resto das férias na casa da família Weasley, mas ultrapassada esta barreira, Harry começa a vibrar com todas as emoções que envolvem um jogo internacional de quadribol. A magia acontece… e é real todo o deslumbramento de nosso bruxinho órfão diante das extraordinárias equipes de atletas irlandeses e búlgaros, que se confrontam numa emocionante partida. No entanto, uma coisa terrí­vel acontece e lança uma sombra sobre tudo e, principalmente, sobre Harry Potter. O recomeço de mais um ano letivo vem amenizar os temores de Harry, que compartilha com os melhores amigos, Ron Weasley e Hermione Granger, todas as aventuras emocionantes que continuam a acontecer na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Também neste quarto ano, acontecimentos inesperados – como, por exemplo, a presença de um novo professor de Defesa Contra a Arte das Trevas e um evento extraordinário promovido na escola – alvoroçam os ânimos dos estudantes. Outras escolas de magia se apresentam e alguns de seus alunos, ao lado de veteranos de Hogwarts, liderados pelo sábio Prof. Dumbledore, terão de demonstrar todas as habilidades mágicas – e não mágicas – que vêm adquirindo ao longo de suas vidas. Estarão eles preparados para tudo que lhes está reservado

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Se Eu Ficar - Gayle Forman

Título Original: If I Stay
Título Brasileiro: Se Eu Ficar
Autor(a): Gayle Forman
Editora: Novo Conceito
Ano: 2014
Páginas: 224
Sinopse: Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais – mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera... e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente – e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas.

Quando assisti ao trailer de Se Eu Ficar pela primeira vez meus olhos se encheram de lágrimas. O conjunto da trilha sonora, a seleção de cenas e a história me emocionou e anotei em minha lista mental: assistir quando estrear no cinema. Portanto, quando a caixa da NC chegou foi a primeira leitura que escolhi para já me preparar emocionalmente antes de ver o filme. Entretanto... bem, o livro não foi bem como eu esperava.

Após um grave acidente de carro, Mia, uma jovem com um futuro promisso na música, entra em coma. Mas seu espírito está bem acordado, confuso e sem saber o que fazer agora que toda a sua família se foi, a acompanhamos vagar pelo hospital por 24hrs enquanto observa parentes e amigos, e relembra alguns momentos de sua vida (alguns bem especiais e outros do cotidiano). Entretanto, Mia não pode ficar entre dois mundo para sempre - é necessário fazer uma escolha: seguir em frente, ir para a luz, ou acordar e enfrentar as dores da vida?
"Eu não gostava de me sentir insegura em relação a uma situação nova. Era por isso que eu ensaiava tanto, para poder pisar em terreno firme e lidar com os detalhes a partir disso."
A premissa do livro me cativou de imediato. Uma história interessante e contemplativa sobre a efemeridade da vida, uma imersão nos sentimentos transtornados de uma protagonista presa entre "a vida e a morte", sem muita perspectiva de continuar. Uma história que me levaria às lágrimas, emocionante e etc. Só que não.

Okay, o livro não é ruim. De verdade, a história é mesmo interessante, gostei de verdade de vê-la andando pelo hospital, perdida e relembrando de como conheceu o namorado, por exemplo, ou de como ela e a melhor amiga não se davam bem quando se conheceram. Mas apensar da história ser boa, a narrativa peca. Não é mal escrito, mas há falta de sentimentalidade, é algo seco e quase frio, mecânico. Não consegui sentir uma conexão com a personagem, algo que eu considero importante para uma história como essa. Para vocês terem uma noção, eu não chorei nenhuma vez lendo o livro. O momento que eu mais cheguei próxima de querer chorar foi lá pelo meio do livro quando ela se lembra do irmão. E, gente, eu sou o tipo de pessoa capaz de chorar com um comercial bonito! Me senti um pouco frustrada, até decepcionada, com isso.

Eu conversei com a Dani do Um Livro & Eu sobre isso e ela me deu um ponto de vista: "Interpretei essa distância como a própria realidade. Mia fora 'excluída' de si mesma o livro todo, observando enquanto seu corpo degradava e não conseguia controla-lo". Admito que essa linha de raciocínio faz sentido, mas comigo simplesmente não funcionou. Quando chegou à metade do livro (mais ou menos na parte que citei no parágrafo acima) para frente, senti que deu uma suavizada. Ainda não senti conexão, mas parecia que a distância havia encolhido pelo menos um pouco. Acredito que a história funcionará melhor nos cinemas.
"Nunca fui forte o suficiente para enfrentar tudo o que teria de enfrentar se eu decidisse ficar."
Preciso de um parágrafo especial para elogiar o trabalho da Novo Conceito com o livro. Ficou lindo demais! A capa é o lindo pôster do filme (embora, admito, ache mais bonito ainda a capa original) e todas as páginas são trabalhadas com notas musicais na margem. Ficou lindo lindo! Plus, as páginas são amareladas e o tamanho da fonte é ótimo.

Se Eu Ficar, apesar da deficiência que senti, é um livro muito bom e bem escrito além de ser lido com facilidade e rapidamente. Eu o li em um dia, e isso porque eu intercalava com meus afazeres. Se pegar firme, dá para ler em uma tarde.

Avaliação: